O projeto “I’m Not There” do fotógrafo espanhol Pol Úbeda Hervàs

pol-6 pol-5

Às vezes podem ocorrer mudanças em nossas vidas que nos deixam sem saber quem realmente somos. Nesse sentimento se baseia a série de fotografias “I’m Not There” do espanhol Pol Úbeda Hervàs. No perfil do projeto em seu Flickr ele questiona:

“Como podemos aceitar que estamos mudando? Como podemos aceitar que dificilmente nos reconhecemos em certas situações? Eu estou mudando nesse exato momento. Eu não me comporto da mesma forma que costumava me comportar. Fico surpreso: Esse sou eu? Essas fotografias são como eu me vejo agora. Minha sombra esta presente, mas eu apaguei a mim mesmo porque não sei mais quem eu sou. Meus sapatos permanecem apenas para eu lembrar que ao menos sou algo mais que uma sombra”

Ele afirma ainda que o projeto esta em andamento, aguardemos as boas novas.

Continuar lendo

Mixtrip #1 – Ireland

O objetivo do “Mixtrip Project” é propiciar uma viagem musical.  Nós acreditamos que é  possível mergulhar na alma de um país através da música que dali vem ou que ali é feita. E quem melhor do que um nativo para nos dizer quais são as músicas que melhor o representam? Ou seja: quais músicas carregam as referências musicais mais legítimas?

Mixtrip Ireland

CLIQUE NA IMAGEM

E pra começar com o pé direito teremos a honra de considerar a opinião musical do artista plástico irlandês Andrew Carson. Ele fez uma seleção especialmente pra gente e está de dar água na boca de quem curte bom rock’n’roll.  Tem alguns de seus conterrâneos mais famosos como Damien Rice, The Cranberries e Lisa Hannigan. Tem também o celtic soul de Van Morrison, o celtic rock dos Horslips e o indie folk dos novinhos do The Villagers. Assim como referências da música irlandesa nos anos 60 com Taste, e nos anos 80 com Zen Aligators. Além de: Rory Galagher, Cathy DaveyChris De Burgh. Parece bom? Então não espere mais nada, clique na imagem, aperte play e viaje conosco!

Participe

Tempos em tempos convidaremos um estrangeiro para “gravar” uma mixtape que demonstre a sua opinião sobre o seu país musicalmente, através de artistas e/ou bandas locais (ou o que der na telha dele, porque o mundo é um país livre, né gente?). Caso não encontremos um representante, faremos uma playlist com as próprias mãos, baseados em pesquisas e métodos não-ortodoxos.  ; )

Se você quiser sugerir um convidado ou mesmo se estiver morando fora do Brasil e manjando da música feita por aí, bitch please, envia um email pra cá: simplistanapista@gmail.com

Mangá, Escher, videogame e Magritte na pintura de John Chae

John Chae New LevelsJohn Chae New Levels

O artista plástico John Chae tem um repertório visual de quem já viveu diferentes realidades. Ele nasceu no Colorado e ainda criança foi morar na Coréia do Sul, depois voltou aos Estados Unidos para estudar artes em Maryland. Já hoje ele mora no Brooklyn, distrito de Nova York famoso por sua cena cultural-artística independente.

O título de seu novo trabalho “New Levels” (Novas Fases, em tradução free) pode até remeter à evolução para um novo patamar de auto-consciência, porém observando seu conjunto não tem como não pensar em fases de videogames. Com referências em Mangá Japonês e caras como Magritte e Escher, ele consegue muito bem combinar fatores importantes das belas artes com elementos do imaginário de cultura pop. Veja mais sobre seu trabalho lá no portfólio online dele.

Continuar lendo

As viagens oníricas na fotografia da americana Alisson Scarpulla

Usando vinho e ácido para revelar suas fotografias, a americana Alison Scarpulla conseguiu fugir dos padrões que muitas vezes trivializa o trabalho do artista. Suas maravilhosas imagens parecem ter saído de um sonho para brincar com a percepção de realidade, convidando o espectador para uma viagem através da sua existência. Segundo ela, tudo o que tomamos por realidade não passaria de uma simples percepção. “Eu descobri que, ao explorar com mais profundidade o ambiente que me cerca, algo de sagrado poderia acontecer comigo e com a natureza – e isso é o que eu sempre quis que as pessoas sentissem”, disse para a BBC Brasil. São fotografias pra parar e viajar por alguns instantes. Dica.

Continuar lendo