Melancolia no som da banda residente em Berlim PVTLVS

PVTLVS (pronuncia-se Private Lives) é uma banda indie de Los Angeles atualmente vivendo em Berlim na Alemanha. A banda é formada por Nick Zorn e Vasco Cesaretti, dois amigos que se conheceram quando começaram a praticar violino com o mesmo professor quando eles tinham apenas cinco anos. Cute. Recentemente eles lançaram esse excelente videoclipe para o seu primeiro single “Last Calls” que mistura viagens de trem e corridas a uma melodia melancólica e penetrante. Play.

A música da banda irlandesa The Young Folks une instrumentos inusitados

Se tem uma coisa que irlandês sabe fazer, além de beber, é música. O grupo The Young Folk, meio indie, meio alternativo, meio bossa nova e rock’n roll, está ficando cada vez mais popular lá na terra dos duendes e das esmeraldas. As músicas têm uma união interessante de instrumentos (por vezes) inusitados, como bandolins e flautas, garantindo uma melodia que agrada a vários tipos de ouvidos, além, é claro, de letras bem trabalhadas. Formada por Anthony Furey (vocais e guitarra), Paul Butler (vocais e piano), Karl Hand (bateria e percussão), Tony McLoughlin (baixo e bandolim) e Karen Hickey (violino e flauta), a banda está entre as mais queridinhas da Irlanda e de alguns outros países da Europa. Altamente recomendável!

(Texto: Daiana Geremias)

Um anti-herói skatista no filme independente Roughrider

Classificado como indie-action, “Roughrider” (Viajante Brutal, em tradução free) foi protagonizado e dirigido pelo  novinho, lindinho e já experiente “cinematógrafo de skate” texano, Will Martin. No filme, Jack Urbano é um jovem skatista que pretende vingar a morte de sua irmã mais nova assassinada por um proeminente traficante conhecido em Vandoren Beach como The King. Jack vai então lutar com gangues ~do mal~ e oficiais corruptos entre ruas arborizadas e valas de concreto da cidade. A parte mais divertidinha é que ele faz tudo isso sem sair de cima do skate, tornando-se uma espécie de super-anti-herói possível. Observe.

O longa que teve orçamento de apenas 12 mil dólares está na pista desde o começo desse ano, e tem ganhado força conforme sido visto e justamente criticado por alguns sites internacionais respeitados, como o Film Threat e o Collider. A estreia será apenas em janeiro de 2013, você pode ir sabendo mais no site oficial deles.

Lysandre, o primeiro álbum solo de Christopher Owens

Christopher Owens, ex-líder da banda de indierock “Girls”, acaba de anunciar seu primeiro álbum em carreira solo.

“Lysandre”, que estreia próximo 15 de Janeiro nos Estados Unidos, pretende falar sobre histórias de amor e amadurecimento durante road trips do músico por São Francisco, Nova York e França. As músicas que compõe o projeto foram escritas e gravadas espontaneamente durante as turnês da bem-sucedida “Girls”. Já as letras são  inspiradas em uma garota que Owens conheceu e se apaixonou durante essas viagens, Lysandre.

As duas músicas disponíveis para streaming por enquanto são as lindas “Lysandre’s Theme” e “Here We Go”, sonhadoras baladas amorosas primariamente acústicas com de-li-ci-o-sas doses de flauta. Se você nem conhecia “Girls”, vale duper a pena conferir a vista de Nova York no videoclipe para a música “Substance”.

Seja inspirado pela Islândia

Sim, esse vídeo produzido pela Inspired by Iceland para promover o turismo na Islândia já existe há dois anos, talvez você até já tenha visto. Mas ei! Há dois anos atrás esse blog não existia… e quando a gente vê islandeses em danças indie com plano de fundo um dos países mais misteriosamente belos do planeta, pre-ci-sa-mos fazer o registro. :) Enjoy!

A cantora indie Russian Red em Veneza

Lourdes Fernandés é uma linda linda linda jovem de 25 anos que sacudiu a comunidade indie espanhola em 2008 com seu debutante álbum “I love your glasses”, sendo até comparada com Cat Power e Joni Mitchel. (!)

Sob o pseudônimo de Russian Red, inspirado no nome da cor de esmalte Vermelho Rússia, risos, sámenina já tem dois albuns e é uma daquelas cantoras que prometeram, prometem e sempre irão prometer bons trabalhos #alanis. Além disso, seus videoclipes são feitos com alto padrão artístico, vale a pena ver todos.

No videoclipe de “Everyday, Everynight” lançado em março desse ano, Russian termina um relacionamento transbordando eufemismos, arruma as malas, e ~se joga~ pegar a gôndola das cinco, em Veneza. Um lugar onde o desafio não é fazer imagens bonitas, a cidade é uma eterna sensação de estar vivendo no século XV, mas ser original. O que Russian Red consegue.

Continuar lendo