As viagens fotográficas de Monica Forss pelo Nepal

Monica Forss começou a se interessar por fotografia ainda na Suíça, seu país de origem. Após ir viver na Itália por alguns anos, viajou para a Inglaterra para continuar seus estudos no Falmouth College of Arts de Londres, onde viveu por 8 anos. Com referências em Henri Cartier-Bresson, Brassai e Walker Evans, Monica tem produzido, ao viajar o mundo, um filme fotográfico bastante espirituoso e intimista – nos retratos fica bastante nítida a conexão dela com os fotografados. Veja algumas das fotos que ela fez no Nepal (Ásia) ou vá até seu Flickr oficial para ver mais boas fotografias de viagem por mais de quinze países.

Continuar lendo

O sincero olhar do fotógrafo espanhol David Terrazas sobre Myanmar

David Terrazas é um fotógrafo espanhol vivendo em Bangkok, capital da Tailândia. Começou a se envolver com fotografia ainda em seu país, mais especificamente em Madri, e logo descobriu viajando uma oportunidade de   trabalhar com temas mais instigantes.  Em sua coleção mais recente, David  desbravou Myanmar, o jovem país asiático estabelecido em 1948 de população majoritariamente budista. Um sincero foto-documentário sobre costumes, paisagens e sentimentos é o que você verá a seguir ou ainda mais em seu site oficial.

Continuar lendo

O Afeganistão pelos olhos do fotógrafo Mohammad Kheirkhan

Afeganistão © Mohammad Kheirkhan

Mohammad Kheirkhah é um premiado, publicado e respeitado fotógrafo iraniano. Conheça as incríveis imagens que ele capturou ao ficar 45 dias viajando pelas cidades de Kabul, Herat, Mezar-e-Sharif e Bagram (onde fica a base militar americana) no Afeganistão.

Continuar lendo

Fotógrafo captura imagens de pessoas cochilando pelas ruas de Tóquio

O fotógrafo inglês Adrian Storey, radicado em Tóquio, capturou imagens de pessoas dormindo pelas ruas da capital japonesa. O conjunto dualiza dois aspectos da cidade grande: ainda que com cerca de 13 milhões de habitantes há segurança o suficiente para que as pessoas possam dormir nas ruas sem medo de sofrer algum tipo de violência. Por outro lado, lenvanta questões como o alcoolismo, o “workaholoquismo” (excesso de trabalho) e o afastamento da família.

Continuar lendo