CASAL ‘O BONITO DO CAMINHO’ PEDALOU DE FLORIPA AO URUGUAI COM SUA CACHORRA ESTOPA NA CARROCINHA

Ismael e Karina criaram um canal no youtube para registrar a aventura

POR DANIEL BONFIM

Era  o jeito. Quando o casal de catarinenses Ismael Godoy e Karina Ferreira, ambos 23 anos, decidiram que queriam fazer uma viagem para o Uruguai imediatamente tiveram uma certeza: eles iriam de bicicleta. O principal motivo? Grana. Nem um dos dois tinha a quantia necessária para comprar passagens de avião, alugar um carro, ir de ônibus ou qualquer outro método de transporte tradicional. Os dois se conheceram enquanto  estudavam na UFSC em 2013, ele estava terminando o curso de Design e ela estava cursando Ciências Sociais. Hoje ele trabalha em uma distribuidora de livros em espanhol e ela é fotógrafa freelance. A bicicleta já era o meio de transporte “oficial” do casal dentro da cidade há algum tempo, eles perceberam que, por estarem acostumados a pedalar todo dia, fazer distâncias mais longas não seria um grande problema.

Então pronto: com duas bicicletas cheias de bagagem e ainda a carrocinha para levar junto a “cachorra da família” Estopa, eles partiram de Florianópolis no dia 17 de janeiro de 2015 sem uma rota muito definida, mas com a certeza de que o pedalar iria apontar as direções e apresentar as surpresas do caminho. Para incrementar ainda mais o desafio, eles resolveram transformar toda essa experiência em um projeto audiovisual chamado O Bonito do Caminho, um canal no youtube em que o casal ia contando com vídeos como estava sendo a viagem aventurosa.

Nos 35 dias até chegar em Montevideo foram 1500 km percorridos: 1000 km pedalando, 200 km de ônibus e 300 km na boleia do caminhão do seu Ari, que ofereceu uma carona depois de conhecer o casal em uma das curvas da estrada. “Acho que talvez um grande trunfo de viajar de bicicleta é a receptividade que o pessoal tem contigo. Eles vem você ali com aquela bicicleta toda cheia dos apetrechos e vem puxa papo. E ai a gente tinha a Estopa ainda. O pessoal vinha ‘ah, vocês estão viajando de bicicleta e… o quê? E essa cachorra?’, ficavam assustados e aí é sempre um ponta pé inicial pra talvez conseguir alguma ajuda. O pessoal te convida pra tomar banho na casa deles, te dá um café, é muito bom.”

Tomamos um café com O Bonito do Caminho para saber um pouco mais sobre a viagem. Assista:

 

Essa receptividade das pessoas era também um termômetro pra saber quanto tempo eles iam ficar em cada lugar. Teve uma cidade em que eles chegaram a ficar três dias acampados no quintal da casa de uma família que os acolheu. Toda ajuda era bem-vinda na hora de economizar dinheiro, acampando em espaços naturais públicos que encontravam pelo caminho ou negociando preços melhores em campings privados. Deu certo: no total eles gastaram apenas mil reais cada um, isso contando com os 400 reais da passagem de ônibus de volta de Montevideo até Florianópolis.

Ismael conta que diferente do que a maioria das pessoas pensam, a parte mais difícil da viagem não foi o desgaste físico ou carregar a Estopa junto pra lá e pra cá. Aliás, a Karina ressalta o quanto a cachorrinha foi importante nos momentos difíceis: “Nós podíamos estar cansados e acabados, mas ela sempre vinha toda animada energizar a gente!”. Como não havia nenhuma pressa eles pedalavam apenas até o seu limite físico e paravam para comer e descansar sempre que estavam desgastados, numa média de 20 km por dia. Problema mesmo foi encontrar banho depois de passar a fronteira do Uruguai. “No Brasil, por causa dos postos de gasolina, com os caminhoneiros a gente conseguia um banho sempre. Mas lá no Uruguai não tem chuveiro em postos de gasolina. Pra conseguir banho lá foi mais sofrido, a gente teve que entrar em camping, pagar por chuveiro.” Além disso, o preço das coisas no Uruguai também assustou bastante. Eles contam que pra fazer uma refeição básica eles gastavam até o triplo do que eles gastariam no Brasil.

Além de tantas vivências, outra parte muito especial da viagem foi poder registrar todas essas experiências em vídeo e postá-las na internet enquanto elas aconteciam. No total, são doze episódios sobre essa jornada que estão disponíveis no canal O Bonito do Caminho lá no Youtube. Mas ao mesmo tempo em que gravar e editar os vídeos durante a viagem foi muito divertido, somado a todo o resto foi também muito trabalhoso e cansativo. Eles dizem que para a próxima viagem pretendem separar melhor as coisas, vão apenas gravar e quando chegarem de volta de viagem e deixar pra editar e postar apenas quando chegarem em casa.

Desde que começaram com o projeto a Karina e o Ismael abriram também um site na internet em que vendem plaquinhas para bicicletas com dizeres de conscientização sobre o trânsito. E foi da venda dessas plaquinhas durante o ano de 2015 que eles arrecadaram a quantia necessária para a próxima aventura. Dessa vez são os próprios colaboradores e seguidores que irão escolher o destino da família “metade humana, metade canina”, como eles estão dizendo por aí: há uns dois meses eles agregaram outra cachorrinha para a família: a Cachopa. E ao que tudo indica ela não vai querer ficar de fora das próximas andanças do casal.

Enquanto isso veja o primeiro episódio da viagem até o Uruguai.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s