Documentário americano discute o projeto mais ambicioso da história da internet

Google And The World Brain

Em 1937 o escritor de ficção científica HG Wells previu a criação de um “cérebro mundial”, que conteria todo o conhecimento humano e seria acessível por todos. Esse saber todo substituiria as nações e os governos. Profeticamente, H.G. antecipou que tal quantidade de informação seria capaz de monitorar toda a espécie humana.

O ano é 2012, a internet existe, e esse “cérebro mundial” não pode mais ser considerado apenas ficção cientifica. Wikipedia, Facebook, Baidu (na China) e ferramentas de pesquisas já  vem tentando trazer esse cérebro à realidade. Entretanto nenhuma tem um plano tão eficaz e transformativo quanto a gigante Google e o seu projeto Google Books.

Em 2002, a Google começou a escanear todos os livros que existem. Eles assinaram contratos com as maiores bibliotecas universitárias do mundo – Michigan, Harvard, Stanford, Bodleian (Inglaterra) e Catalunha (Espanha). O objetivo não seria apenas criar uma biblioteca global, e sim usar todo este conhecimento para um propósito ainda maior: desenvolver uma nova forma de inteligência artificial.

A Google digitalizou um total de dez milhões de livros. Mas ei, seis milhões deles estavam protegidos por copyright, autores do mundo todo lançaram campanha contra a empresa. Em 2005, pós processos jurídicos, o Guia de Autores Americanos e a Associação de Editores sentaram para conversar sobre algum tipo de acordo. Três anos depois, foi criado o chamado Estatuto Google Book.

Porém esse estatuto,  de 125 milhões de dólares, conferiu a Google poderes extraordinários. O site da Google Books se tornou ao mesmo tempo a maior livraria e a maior biblioteca comercializável do mundo, garantindo a empresa um monopólio perante quase todos os livros publicados no século XX. A biblioteca de Havard rescindiu seu contrato, os governos da Alemanha e da França se pronunciaram contra a gigante e o Departamento de Justiça americano começou uma investigação anti-truste.

Em 2009, o juiz Denny Chin começou a realizar audiências em Nova York para avaliar a validade do Estatuto Google Book.. Em março de 2011, ele votou contra.

De lá para cá, a Google tem assinado contratos individuais com editoras que permitem mostrar partes de seus livros online com links para outros websites. Eles continuam digitalizando livros que não tem copyright, porém o seu plano de  criar o tal “cérebro mundial” foi efetivamente interrompido. No fim, os autores conseguiram vencer uma das mais poderosas corporações do mundo.  O Guia de Autores Americanos segue processando a Google em 2 bilhões de dólares por danos financeiros.

No documentário “Google and the World Brain” (Google e o Cérebro Mundial, em tradução free), o diretor Ben Lewis conta a história do Google Books através do amplo universo da internet, com seus problemas de comercialização de dados, privacidade de download, direitos autorais, imunidade e fiscalização. O filme recentemente foi selecionado para o Festival de Sundance 2013. Assim que tivermos um trailer, postaremos aqui. ;)

UPDATE

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s